Foto: Fatos Desconhecidos

Já li e ouvi várias vezes que o mundo está muito “chato” com o tal do “politicamente correto”, afinal, não se pode mais fazer piadinhas e “ninguém sabe mais brincar”!

O que se traduz em: “Não posso mais destilar meu ódio e fazer piadas racistas, machistas, homofóbicas e usufruir da minha condição de privilegiado/opressor”. 

“Piadas” que menosprezam, inferiorizam, desprezam e discriminam um determinado grupo social nunca foram engraçadas para quem faz parte dele. Na verdade, esse tipo de coisa apenas exprime a enorme exclusão social pela qual passam determinados indivíduos, e uma tremenda falta de respeito, empatia, além de uma grande carga de preconceito da pessoa que se assume piadista.

Bem, recebi uma tal piada num grupo de Whatsapp não me fez rir (e eu juro que ainda sou uma pessoa legal), mas ela me serviu para refletir como a nossa sociedade é machista e como nós mulheres sofremos com isso, enquanto alguns homens conseguem desfrutar de todo privilégio e de todo o poder a eles conferidos, sem ao menos perceber que há um enorme desequilíbrio e uma disparidade entre os gêneros, com a supremacia de um em detrimento da inferioridade e da subjugação do outro.

Vamos lá! Vou dar uma de chata e explicar, com base nas minhas reflexões o nos meus questionamentos, o que está por trás dos porquês de os homens não ficarem deprimidos, já que eles não passam por várias coisas que as mulheres convivem e sofrem…

POR QUE OS HOMENS RARAMENTE FICAM DEPRIMIDOS?

● Não engravidam.

Até hoje, nós mulheres somos ligadas diretamente à maternidade, e ficar grávida é meio que um destino de toda mulher, queira ela ou não (porque ainda não é concebível que uma mulher não queira engravidar, ter filhes…). Porém, ao mesmo tempo em que a gravidez é tão imaculada e exaltada, ela também causa medo e o grupo que não engravida fica, de certa forma, aliviado por não ter que passar por essa “provação”.

A dor do parto é associada no livro de Gênesis ao pecado original, cometido, antes de qualquer coisa, por uma mulher. Nós carregamos o estigma da responsabilidade por tudo que há de ruim no mundo em religiões e em mitologias, o que contribuiu bastante para a associação da mulher a características ruins e abomináveis, tais como a maldade, a falsidade e também a inferioridade, o que nos assombra até os dias atuais.

● Os mecânicos não mentem pra eles.

Todo mundo, alguma vez na vida, já acreditou que mulheres dirigem pior do que os homens e já riu desse tipo de “piada”. Mesmo sem saber quem está fazendo barbeiragem no trânsito, reclama-se da pessoa colocando-a como pertencente ao sexo feminino, ainda que o gênero dominante na língua portuguesa seja o masculino. “O que essa mulher está fazendo”? “Que louca”… E não raro nos decepcionamos, pois é um homem o tal barbeiro.

Quando um filho, em uma família geralmente mais abonada, fazia 18 anos, a primeira coisa que ganhava era um carro. Mas isso não acontecia com a sua irmã. Carros não nos são apresentados da mesma maneira, e claro que isso contribui para nos interessarmos menos ou para pensarmos que não é tão importante aprendermos a dirigir e ter um carro. Ao contrário, um homem sem um carro quase que não é um homem!

Atualmente, a grande maioria das mulheres sabe dirigir, tem carro e tal, mas isso não as exime da associação entre mulheres X não dirigir bem X não entender da parte mecânica dos automóveis, ainda que isso seja contestável. É muto ruim pensar que o mecânico vai me passar a perna, agindo com má-fé e com falta de respeito e caráter, somente por eu ser mulher, pressupondo que eu não entendo nada. E isso é visto como normal e engraçado…

● Rugas são traços de caráter.

Uma das coisas que mais assombra uma mulher é a ideia de envelhecer. Se o nosso valor é ligado diretamente à nossa aparência física, a busca incessante por atingir padrões de beleza inatingíveis e a luta contra a ordem natural da vida são algumas das coisas que mais contribuem para a falta de autoestima e a falta de amor-próprio em uma mulher. Depressão e tantas outras doenças são desenvolvidas, muitas mulheres se submetem a cirurgias plásticas que podem lhes custar a vida.

Porém, o tratamento dado aos homens chega a ser completamente o oposto. Rugas são sinais de maturidade, experiência e charme neles. Normal dizer como um tal ator fica cada vez mais bonito e charmoso com o passar dos anos, enquanto que uma atriz, com as mesmas rugas, já não consegue nenhum papel e é logo substituída por uma bem mais jovem – a não ser que ela se submeta a cirurgias plásticas que vão deixá-la sem expressão facial ou vão mesmo desfigurar o seu rosto. Talvez, nem assim.

● Barriga é prosperidade!

Desnecessário dizer sobre a ditadura da magreza nos deixa frustada, nos faz odiar o nosso corpo e nos deixa em estado constante de infelicidade. Não conseguimos nos identificar nas propagandas, nas fotos das revistas, mesmos sabendo que são passadas pelo photoshop. Achamos que não somos aceitáveis, que não temos um lugar aqui…

Sei que essa cobrança pela magreza e que a gordofobia atingem homens e mulheres. Porém, eu acho que as mulheres sofrem mais com isso justamente por terem seu valor relacionado apenas e diretamente à aparência física.

Afinal, é essa mesma sociedade que diz que um homem feio e barrigudo, se tiver dinheiro, vai ficar com a mulher que quiser. Nunca ouvi dizer que uma mulher considerada fora dos padrões de beleza, mas com muita grana e um carrão, vai conseguir ficar com o homem que quiser…

● Cabelos brancos são charme.

Mesma coisa sobre como a sociedade é intolerante com o envelhecimento da mulher e como isso não ocorre com os homens… Pois se aparece um fio de cabelo branco na nossa cabeça, vamos correndo passar tintura, fazer balaiagem e o que for para escondê-los, mas a mesma coisa em um homem vira, pura e simplesmente, um charme!

● Os sapatos não lhes machucam os pés.

E pensar que foi um homem pomposo que popularizou o salto alto! E sabe-se lá porquê nós que carregamos esse fardo hoje!

Agora, que eu não caio mais nessa, eu não caio. Conforto em primeiro lugar e meus pés e minhas colunas agradecem. Não precisamos nos prejudicar só porque dizem que ficamos mais bonitas com um salto 15cm. Quem aguenta o tranco, tudo bem, mas que faça isso deliberadamente. E vivam as sapatilhas e as rasteirinhas!!

● Cera quente não chegam nem perto.

É muito difícil ter seus pelos censuráveis, condenáveis e detestáveis. Eu acho que a única pessoa que deve decidir se quer depilar ou não é a própria mulher, dona de seu corpo. Ninguém mais. E se um homem tem nojo, ri de uma mulher que decide não retirar os pelos de seus corpos ou a reprime, no mínimo tem algum problema sério, porque ele também tem muuitos pelos espalhados pelo seu corpo…  É triste se sentir culpada e pedir desculpas a alguém porque não teve tempo de depilar, ou morrer de calor, mas não colocar um short ou um vestido pelo mesmo motivo. Eu sempre achei cera um método muito agressivo para retirar pelos, sempre procurei outras alternativas e tento não me reprimir, me culpar ou me limitar porque não deu pra depilar.

● Seu corte de cabelo pode ser o mesmo durante anos, aliás, décadas.

De novo, ditadura da beleza… Se vimos a esse mundo pra agradar, adornar e enfeitar, não dá pra ficar com o mesmo corte a vida inteira, né? Ainda que eu ame o meu cabelo do jeito que ele é, inimaginável eu mantê-lo da mesma forma pelo tempo que eu decidir.

● Os shoppings não fazem falta para eles.

Até quando vamos continuar a fazer associações tão rasas igual a essas? Mulher ama shopping, mulher é isso e mulher aquilo, mulher deve fazer isso e não pode fazer aquilo…

Eu não suporto ficar muito tempo dentro de um shopping center e nunca ninguém vai me encontrar passando tardes num lugar desses fazendo compras… Mas eu continuo sendo mulher.

Tenho noção do que reservaram pra mim – que é muito pouco – e que posso ser muito, mas muito mais que isso…!

–//–

Apenas para ressaltar, eu não culpo tanto os homens que usufruem essas vantagens, nem as mulheres que se rendem a toda a pressão para seguir os padrões que a sociedade machista e misógina impõe… Porém, acredito que não devemos nos conformar com isso, e que ao invés de rir com a tal piada, podemos fazer uma reflexão, questionar o porquê de toda essa desigualdade e analisar quais são motivos que levam à existência de tantos benefícios aos homens e tantos malefícios às mulheres, tanto na vida pública quanto na vida privada.

🙂

Anúncios