Foto: Anne Geier (créditos)

Fatores nutricionais

Sempre tive taxas mais baixas de hemoglobina e estoques mais baixos de ferro, mesmo quando eu ainda não era vegetariana. Quando me tornei vegana, passei a prestar mais atenção à composição da minha dieta, para que pudesse consumir e absorver a maior quantidade de ferro possível dos alimentos. O acompanhamento com um/a nutricionista é fundamental!

Muitos alimentos vegetais são ricos em ferro, mas a sua biodisponibilidade é menor, se compararmos com a o ferro heme, que existe somente em alimentos de origem animal. Existem formas de melhorar a absorção do ferro vegetal, como a ingestão de alimentos ricos em vitamina C concomitantemente, e a não ingestão de alimentos que atrapalham a sua absorção, como aqueles ricos em cafeína.

Imagem: Tua Saúde

É importante que anti-nutrientes sejam eliminados e, para tanto, temos de fazer o demolho das leguminosas. Para os feijões, riquíssimos em ferro, o ideal é deixá-los de molho por 24 horas. Um lembrete essencial: antiácidos, como omeoprazol, atrapalham bastante a absorção de ferro pelo organismo. Portanto, nunca abuse desses medicamentos – mais uma vez, não se automedique![1]

Ainda que fizesse tudo certinho, infelizmente, eu não consegui absorver quantidades ideias de Fe. Porém, a anemia ferropriva é uma das condições mais comuns do mundo, que acometem indivíduos que comem carne na mesma frequência das que não comem. São muitas as pessoas que precisam fazer a reposição de ferro – isso não é uma particularidade de quem é vegetariano/a ou vegano/a.

Da mesma forma, mulheres que estão em período fértil tendem a ter seus estoques de ferro diminuídos por conta da menstruação. Assim, deveremos ficar sempre atentas!

Quando o estoque de ferro está baixo no nosso organismo – este é medido pela ferritina – nosso corpo passa a economizá-lo, e a utilizá-lo somente para as nossas atividades essenciais. Por mais que o cabelo seja parte importante do nosso corpo, pois afeta diretamente a nossa autoestima, ele não é vital. Da mesma forma, o corpo gasta bastante energia para produzir cada fio. Por isso, se há deficiência de alguns nutrientes, não será para o cabelo que eles serão destinados.

Geralmente, resolve-se a anemia ferropriva facilmente por meio de suplementação. Quando essa condição cessa, a queda excessiva de cabelo também é interrompida. Venho suplementando o ferro com Noripurum mastigável. Para casos mais graves, pode-se ministrar o ferro de forma endovenosa. Consulte um/a dermatologista, um/nutróloga ou um/a nutricionista.

Outras vitaminas e outros minerais

O cabelo precisa de muitos nutrientes para ser formado. Ele é composto, em mais de 80%, por queratina, que, por sua vez, é formada por diversos aminoácidos.

As vitaminas do complexo B são importantíssimas para a saúde capilar. Há destaques para o ácido pantatênico (B5), a piridoxina (B6), a biotina (B7) e para a cobalamina (B12) – existe uma anemia por deficiência de B12, chamada de megaloblástica.

Baixas taxas de vitamina A C, D e E também podem afetar a saúde capilar. Contudo, para qualquer tipo de suplementação, é mister a consulta com profissional qualificado. Não saia tomando suplementos por conta própria!!

Para quem tem a preocupação com o bem estar animal e ambiental, é importante adquirir suplementos veganos. A maioria das marcas utiliza cápsulas de gelatina animal. E mesmo os insumos podem ser de origem animal. A vitamina D, por exemplo, tem duas variações: o colecalciferol (vitamina D3) e o ergocalciferol (vitamina D2). A D3 tem origem animal (geralmente, de ovelhas), e a D2 tem origem vegetal. Portanto, se você se consultou, fez exames e constatou que apresenta deficiência de vitamina D, procure adquirir suplemento com cápsula vegana de ergocalciferol.

O óleo de linhaça é uma excelente fonte de ômega 3!

Ômegas 3, 6 e 9, e minerais como zinco, cobre, selênio, silício, magnésio também são importantes para o crescimento capilar, e a falta deles pode ocasionar a queda. Por meio de exames laboratoriais, é possível verificar as suas taxas. Faça isso antes de iniciar qualquer suplementação.

A suplementação de minerais pode ser feita de forma individualizada, em farmácias de manipulação, após o diagnóstico médico. Procure sempre saber se a farmácia disponibiliza cápsulas veganas! =)

Marcas que possuem suplementos veganos: Unilife, Omix, Now Foods, Vitalnatus, Nutrify, WVegan, Lauton Nutrition.

Fatores emocionais

Segundo o site Tua Saúde (acesso em 20.12.2020), “O estresse pode causar queda de cabelo, cientificamente chamada alopécia androgenética ou areata, porque ele inibe o desenvolvimento e aumenta a inflamação, comprometendo a circulação sanguínea e dificultando a permanência dos fios no couro cabeludo. O estresse ainda aumenta as chances de oleosidade capilar, que favorece a caspa e consequentemente, a queda de cabelo.”

Quando comecei a apresentar a queda intensa de cabelos, o primeiro fator que muitas pessoas próximas cogitaram ser a causa foi o emocional. Todas/os estamos passando por um momento muito delicado durante essa pandemia. Não está fácil, em nenhum sentido.

Costumo dizer que, desde 28/10/2018, eu nunca mais fui a mesma pessoa… Esse dia foi a nossa sentença de morte, e 2020 levou essa frase ao seu sentido literal!

Porém, temos que cuidar bem da nossa saúde mental, até para nos mantermos firmes, atentas e vigilantes. É imprescindível iniciar a psicoterapia. Podemos também recorrer a métodos como a aromaterapia e a meditação – tenho gostado do mindfullness. Também devemos cuidar bem da nossa alimentação, pegar mais leve no trabalho, não cobrar tanto de nós mesmas… Não podemos deixar de fazer exercícios físicos (mas com responsabilidade, se for ao livre), e devemos prezar por boas noites de sono (pingar algumas gotinhas de óleo essencial de lavanda no travesseio é uma grande ajuda!).

Agora, vamos às receitinhas naturais!

Para controlarmos a queda capilar, é muito importante que sigamos o tratamento corretamente. Na verdade, o que fazemos em casa é o que mais irá ajudar.

Lembre-se sempre de realizar testes de alergia antes de utilizar produtos que contenham óleos essenciais – alguns podem ser alergênicos.

O tratamento para a queda capilar, quase sempre, será algo perene. Quando recorremos a métodos mais naturais, será preciso que tenhamos paciência, e que compreendamos os ciclos do nosso corpo, assim como os ciclos da natureza. As plantas medicinais são verdadeiras dádivas que a Mãe Terra nos concede. Precisamos utilizá-las com sabedoria! É também preciso que acreditemos em seus poderes, e que sejamos gratas à cura que elas promovem.

A terapia capilar consiste em métodos que ativam a circulação sanguínea do couro cabeludo, devolvem nutrientes necessários ao fortalecimento e ao crescimento dos fios, e combatem os fatores que causam a sua queda, como a seborreia, ou o excesso de DHT nos folículos. Muitos produtos naturais são usados, como as argilas, os óleos vegetais e os essenciais, aliados à massagem capilar. Lasers e microagulhamento também são métodos utilizados. O interessante é que, nessa terapia, há uma abordagem holística e individualizada, o que é muito importante, já que cada pessoa pode ter motivos bem específicos que ocasionaram a queda de cabelo.

Procure uma profissional capacitada para iniciar a terapia capilar!

Tônico antiqueda

Receita:

  • 20ml de gel de aloe vera
  • 10ml de hidrolato de goiaba
  • óleos essenciais de alecrim (5 gotas), cedro atlas (5 gotas) e junípero (5 gotas).

Basta colocar todos os ingredientes em um recipiente spray âmbar. Ele pode ser usado diariamente após a lavagem dos cabelos, e não precisa retirá-lo. Faça massagens circulares.

Sérum antiqueda

O óleo de ginkgo biloba possui ação antioxidante e ativa a circulação sanguínea no couro cabeludo, o que contribui para o crescimento dos fios e para evitar a sua queda.

O óleo de salsa é rico em betacaroteno, em vitaminas C e K, e em minerais como ferro, magnésio e cálcio. É ótimo para a saúde capilar.

O óleo de morango é rico em ômegas 3 e 6, em vitaminas B e C, e em minerais como magnésio e cobre. Ajuda a prevenir a alopecia, enquanto hidrata os fios.

A receita:

  • 10ml de óleo de chá verde
  • 7,5 ml de óleo de ginkgo biloba
  • 7,5ml de óleo de salsa
  • 5ml de óleo de morango
  • óleos essenciais de alecrim (4 gotas), cedro atlas (10 gotas) e ylang ylang ou louro (5 gotas).

Passe o sérum no couro cabeludo, faça massagens e deixe agir por umas 2:00. Depois, é só retirar com bastante shampoo (de preferência sólido, e que tenha argilas em sua composição!). Eu o uso 2x por semana. Se você não tiver todos os óleos, não há problemas. Escolha um ou dois.

Sérum crescimento capilar

O óleo de rícino é o mais querido para o crescimento dos fios. Rico em acido ricinoleico, ele é excelente para o fortalecimento capilar.

O óleo de jaborandi é um tônico natural para os cabelos. Ele ajuda a ativar os folículos pilosos, o que contribui para o crescimento e para o fortalecimento dos fios.

O óleo de café verde é rico em tocoferóis (vitamina E), e é um excelente antioxidante. Ele contribui para o aumento da circulação sanguínea no couro cabeludo, o que favorece o crescimento dos fios.

A receita:

  • 15ml de óleo de rícino
  • 10ml de óleo de jaborandi
  • 5ml de óleo de café verde
  • óleos essenciais de alecrim (10 gotas), hortelã-pimenta (5 gotas) e manjericão ou tomilho (5 gotas).

Passe o sérum no couro cabeludo, faça massagens e deixe agir por umas 2:00. Depois, é só retirar com bastante shampoo (de preferência sólido, e que tenha argilas em sua composição!). Eu o uso 1x por semana. Se você não tiver todos os óleos, não há problemas. Escolha um ou dois.

Sérum anticaspa e anti seborreia

O óleo de copaíba é um conhecido anti-inflamatório, antibactericida e antimicróbico. Ele ajuda a regular a oleosidade da pele e a regenerar os tecidos.

O óleo de chá verde, rico em taninos e em vitaminas A, B e E, além de atenuar a ação do DHT nos folículos, é é ótimo para combater a seborreia.

O óleo de neem é um antifúngico e um antibactericida natural. Ele ajuda a regular a oleosidade da pele, além de atenuar a coceira o ressecamento do couro cabeludo.

A receita:

  • 7,5ml de óleo de copaíba
  • 15ml de óleo de chá verde
  • 7,5ml de óleo de neem
  • óleos essenciais de tea tree (10 gotas), limão siciliano (2 gotas) e tomilho (3 gotas).

Esse sérum é um pouquinho mais forte, por isso eu o utilizo 1x por semana (e porque estou usando outros produtos para a seborreia!). Ele funciona muito bem!!

Obrigada por chegar até aqui!

Para quaisquer dúvidas ou correções, entre em contato comigo!

Consultas

https://www.minhavida.com.br/saude/materias/23085-fitoterapia-homeopatia-e-alopatia-tire-suas-duvidas

https://medicoresponde.com.br/problema-na-tireoide-pode-causar-queda-de-cabelo/

https://belezaesaude.com/vitaminas-minerais-cabelos/

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/caspa-dermatite-seborreica/


[1] Slywitch, Eric Alimentação sem carne: um guia prático, 2015.