Foto: Foreo

Muitos produtos que compramos para cuidarmos de nós mesmas podem fazer mais mal do que bem. Eles contêm ingredientes que possuem alto potencial alergênico, cancerígeno (sim, isso é real!), de irritabilidade, de contaminação ambiental (bioacumulação), de ressecamento e alguns até “imitam” nossos hormônios naturais, o que pode prejudicar o nosso sistema endócrino.

Ademais, muitos desses produtos ainda são testados em animais e utilizam produtos de origem animal em sua composição, o que os torna parte de um grande sistema de exploração animal e de destruição do meio ambiente.

Foto: Sense y natura

Da mesma forma, grande parte desses produtos que utilizam composição totalmente sintéticas e tóxicas tentam passar a imagem de serem orgânicos ou naturais, só porque contêm um ou outro ingrediente natural (geralmente, lá no fim da composição), em meio a um monte de componentes maléficos. Chamamos isso de greenwashing, e vou te dizer: eu já fui vítima dele por diversas vezes, até aprender a ler a composição de cada produto e passar a entender de onde vem aquele cosmético que é absorvido pelo meu corpo ou que vai parar no sistema de tratamento de esgoto da minha cidade.

Entre os componentes que precisamos evitar estão os derivados de petróleo, como a parafina líquida, os conservantes como parabenos e o BHT, sulfatos, ftalatos, silicones sintéticos, óleos minerais (como petrolatos e parafina líquida), insumos que contêm chumbo e alumínio. Para sabermos o que cada palavra esquisita, muitas vezes gigante, significa e o quanto ela pode afetar de forma maléfica o nosso corpo, podemos consultar o banco de dados fundação estadunidense “EWG”.

O blog “lookaholic” também fez uma lista ótima (e de leitura obrigatória!! Aqui e aqui), sobre esses componentes que devemos evitar, e que estão presentes na maioria das marcas mais vendidas da indústria da beleza.

Veja este breve vídeo sobre a A História dos Cosméticos:

Se tiver um tempinho a mais, veja este aqui (está em espanhol):

Migrar para a biocosmética

A cosmética natural exige cuidados e doses corretas, para que não faça um efeito contrário e se torne mais prejudicial que a não natural.

Para fazermos as receitas naturais e sustentáveis, recomendo que adquiram alguns produtos básicos. Confesso que comprei uma gama de óleos essenciais, de óleos carregadores e demais ingredientes, mas você não precisa ter todos eles. Assim, tentarei selecionar alguns ingredientes que serão imprescindíveis e coringas.

O que são óleos essenciais

Os óleos essenciais possuem diversas funções medicinais, e eles serão utilizados nas receitas de acordo com as suas propriedades, e não apenas para dar um cheirinho bom a elas (o cheirinho bom é uma consequência do uso dos óleos essenciais pelos seus benefícios!).

Foto: Fortíssima

Eu li tantos sobre os óleos essenciais, e em tantos lugares diferentes, que eu já não saberei dizer ao certo qual foi a minha fonte exata. Porém, colocarei no fim do texto alguns sites por meio dos quais eu comprei os óleos e que, provavelmente, foram deles que tirei as suas principais informações! Para saber mais sobre os óleos essenciais e suas inúmeras funções, li alguns livros também, porém não tenho qualquer propriedade para falar mais a fundo, sobre eles, em relação à aromaterapia.

Os óleos essenciais devem ser usados nas receitas com cautela. Eu nunca recomendaria o seu uso puro, pois eles podem causar diversas reações na pele, até queimaduras, muito menos a sua ingestão, que pode causar intoxicações.

A diluição dos óleos essenciais nas receitas de cosméticos pode variar de 0,25% a 10%. Nas receitas, o máximo de diluição que usarei será 3%, que equivale a mais ou menos 20 gotas (cada 1ml de óleo essencial tem mais ou menos 22 gotas) de óleo essencial para 30ml de óleo vegetal. Quanto à combinação dos óleos essenciais, usarei sempre no limite de três. Se você não tiver todos eles, você pode colocar apenas um ou dois, sem qualquer problema!

Vou passar uma fórmula que eu e Leo criamos para vocês fazerem a diluição dos óleos essenciais:

Variáveis:

Ov = óleo vegetal (ml)

p = porcentagem de diluição

Oe = óleo essencial (gotas)

Vamos fazer a diluição a 3% de óleo essencial de alecrim em 30ml de óleo vegetal de abacate:

Sempre teremos que arredondar quando o número der quebrado. Então, até a fração 0,4, eu arredondo para baixo – de 0,5 em diante, para cima!

Óleos essenciais “essenciais”

Trocadilhos à parte (rsrs), depois de muito matutar, selecionei 5 óleos essenciais que você precisa ter. Com eles, faremos boa parte das receitas e, mesmo que eu não os indique em alguma, você poderá utilizá-los, pois terão propriedades semelhantes. São eles:

  1. Alecrim (reduz a queda capilar, estimula seu crescimento)
  2. Capim Limão (ação antibactericida e fungicida, bom para cabelos oleosos, aromatizador de ambientes)
  3. Hortelã-pimenta (crescimento capilar, ação antibactericida, fungicida e antisséptica)
  4. Lavanda (ação antibactericida e fungicida, estimula o crescimento capilar, relaxante natural)
  5. Tea Tree (Melaleuca – ação bactericida, fungicida, cicatrizante, antisséptico bucal)

Outra forma de decidir quais óleos essenciais comprar, é escolher um ou dois de cada família botânica.

  • Família cítrica

Como exemplos, temos o limão, a tangerina, a laranja.

  • Família floral

Como exemplos, temos a lavanda, o gerânio, o ylang ylang.

  • Família Herbal

Como exemplos, temos o alecrim, a melaleuca, a citronela, o hortelã-pimenta.

  • Família da Terra

Como exemplos, temos a sálvia, o patchouli, a mirra.

  • Família da Madeira

Como exemplos, temos o cravo, o cedro-atlas, o sândalo.

Se você puder investir um pouco mais, poderá expandir essa lista essencial para 10 itens, para incluirmos, também, óleos essenciais de outras famílias botânicas:

  1. Sálvia (combate sebo, caspa, acne e furúnculo)
  2. Ylang Ylang (combate a queda e a quebra de cabelo, regenera a pele, trata linhas de expressão e é afrodisíaco).
  3. Gerânio (óleo feminino – atenua linhas de expressão e rugas, controla a produção de sebo e de acne)
  4. Cedro (fortalece os cabelos, combate a oleosidade da pele).
  5. Citronela (ação repelente e aromatizadora de ambientes)

O que são óleos vegetais, também conhecidos como “carregadores” de óleos essenciais

Os óleos vegetais são provenientes de sementes, castanhas, folhas, grãos e frutas que são conhecidos por nós na alimentação.

Foto: N Natur

Eles possuem diversas propriedades para fins cosméticos, e eu os considero como ingredientes puros, já capazes de oferecer todos os elementos necessários para os cuidados com a nossa pele e com os nossos cabelos.

Eles também são usados na criação de maquiagens e de perfumes naturais. E são chamados de “óleos carregadores”, pois são utilizados na diluição dos óleos essenciais, já que estes últimos nunca devem ser utilizados diretamente no nosso corpo.

Existem diversos óleos vegetais que eu consideraria elementares para a produção dos nossos cosméticos naturais, mas você não precisa ter todos eles. Aliás, há 2 desses óleos que, com certeza, já possuímos em casa para fins culinários: o azeite extravirgem e o óleo de coco! Assim, quando eu passar uma receita que leve óleos que você não possui, a chance de poder substitui-los por um desses dois será alta!

Se você puder comprar alguns deles, eu sugeriria ao menos dois para os cabelos, dois para o corpo e dois para o rosto.

Para os cabelos, você pode adquirir o óleo de argan (nutre os cabelos, atenua o frizz, combate as pontas duplas), o de rícino (estimula o crescimento capilar, deixa os fios mais fortes e hidratados) ou o de abacate (nutre os fios e os deixa mais macios), por exemplo. Para o corpo, o óleo de amêndoas doces (hidrata, nutre e rejuvenesce a pele), de germe de trigo (confere mais elasticidade à pele e retarda seu envelhecimento) ou de cenoura (potencial filtro solar, hidratante, antioxidante). Para o rosto, o de rosa mosqueta (potente antienvelhecimento, previne rugas e linhas de expressão, previne olheiras, atenua machas e tem ação cicatrizante) e o de jojoba (ótimo para peles oleosas, não comedogênico, controla a produção de sebo e retarda o envelhecimento da pele).

Foto: Go Outside

Ao longo das receitas, eu explicarei com maiores detalhes sobre as propriedades de cada um.

O que são manteigas vegetais?

As manteigas vegetais são extraídas diretamente da natureza e são advindas principalmente de sementes e caroços de frutos. A maioria delas é utilizada somente para fins cosméticos, mas tem uma que já conhecemos bem e que é muito encontrada no mundo da culinária: a manteiga de cacau! Bom, além de manteiga de cacau (antioxidante, previne o ressecamento da pele, recupera cabelos danificados), eu recomendaria comprar outra bem coringa, que será muito utilizada nas receitas para cuidados com o cabelo e com a pele: a de karité (hidrata e confere elasticidade à pele, tem propriedades cicatrizantes e previne rugas e linhas de expressão).

Foto: GreenMe

Se você puder investir mais um pouco, eu recomendaria a compra de mais uma manteiga vegetal, que pode ser a de ucuuba (ação antisséptica, previne a queda de cabelo), a de murumuru (dá brilho aos cabelos e recupera aqueles danificados), a de cupuaçu (age contra a quebra dos cabelos e é um excelente umectante) ou a de manga (ação antirrugas, protege os cabelos e controla o frizz).

Demais ingredientes para elaborarmos nossos próprios cosméticos

Além dos óleos essenciais, dos óleos vegetais e das manteigas vegetais, temos de ter alguns outros ingredientes para elaborarmos as nossas receitas.

Ceras

Foto: Cosmética Natural

As ceras são importantes quando queremos conferir ao cosmético uma consistência mais firme, espessa e sólida. Como nossos cosméticos serão sempre veganos, esqueça a cera de abelha. Assim, recomendo a compra da cera de carnaúba ou da cera de candelila (apenas uma delas basta!)

Argilas

Foto: Lar Natural

De acordo com o site da Ecycle, “A argila é um mineral de rochas sedimentares composta de grãos muito finos de silicatos de alumínio, associados a óxidos que lhe conferem diversas tonalidades e propriedades. Os vários tipos de argila são originados a partir de um conjunto de processos físicos e químicos (bem demorados) que modificam as rochas e alteram sua forma física e composição química. É por meio dessas alterações que a argila é formada.”

Existem diversos tipos de argila, cada uma com propriedades e cores características.

A argila branca tem ação suavizante e nós iremos utilizá-la para maquiagens naturais.

A argila verde é ótima para combater a oleosidade da pele e dos cabelos.

A argila marrom também é ótima para o tratamento contra a acne e retardada o envelhecimento da pele.

A argila cinza suaviza linhas de expressão e combate os radicais livres da pele.

Para saber mais sobre as argilas e suas funções, recomendo acessar esta matéria.

Bicarbonato de sódio

Esse ingrediente será utilizado na elaboração do desodorante caseiro e de produtos de higiene bucal. Você já deve tê-lo em casa, afinal, ele é muito utilizado para fins culinários também!

Vinagre de Maçã

Foto: Tua Saúde

Eu considero o vinagre de maçã um dos melhores amigos do nosso cabelo. Por ter um pH parecido com o dos nossos fios, o vinagre age como um agente condicionante natural, confere brilho e maciez às madeixas e diminui o frizz, já que ele fecha as nossas cutículas. Recomendo a compra de um vinagre de maçã orgânico, já que ele será livre de agrotóxicos e outros venenos comuns na agricultura tradicional.

Aloe vera (babosa)

Foto: Tuttogreen

A babosa já era uma grande conhecida das nossas avós quando o assunto era hidratação e nutrição dos cabelos. Ela também tem ótimas propriedades para a nossa pele, pois age como tonificante e hidratante do tecido cutâneo.

Como nem sempre temos um acesso fácil à planta, podemos comprar a babosa na forma de extrato glicerinado também.

Glicerina Vegetal

A glicerina vegetal possui propriedades emolientes, lubrificantes e hidratantes para a nossa pele, além de conferir uma maior viscosidade ao cosmético. Mas atenção: só compre a glicerina se ela for vegetal!!

Amido de milho e araruta

O amido de milho (maisena) será utilizado na receitinha de desodorante, por possuir propriedade antitranspirante. A araruta é utilizada em maquiagens naturais, pois deixa nossa pele com toque aveludado.

Pó de juá

Foto: Loja pensando ao contrário (créditos)

Tem propriedades antissépticas e detergentes, e isso o torna um excelente ingrediente para elaborarmos nossa pasta de dente natural!

Hibisco em pó (ou beterraba em pó) e cacau em pó

Foto: Alto Astral

São pigmentos naturais.

Álcool de cereais

É utilizado para a produção de aromatizadores e perfumes naturais. Também iremos utilizá-lo no nosso repelente de insetos!

Para elaborar cosméticos um pouco mais complexos:

Base pronta para os cabelos (vegana, livre de petrolatos, parabenos, silicones e fragrâncias)

Sabe aquela saudade que bate de passar um condicionador nos cabelos, ou mesmo de utilizar um leave-in que escorre pelos fios? Infelizmente, os óleos e as manteigas vegetais, em receitas anidras, não conseguem conferir esse aspecto condicionante. Dessa forma, para que pudéssemos fazer receitas que utilizam água e óleo ao mesmo tempo e em uma única fase, nós teríamos de adicionar outros ingredientes que possibilitariam a sua homogeneização, o que tornaria a produção bem mais complexa. Entretanto, existem bases capilares prontas que facilitam esse trabalho e, nelas, poderemos adicionar óleos e manteigas vegetais, bem como óleos essenciais, para personalizá-las da forma que quisermos.

Proteína hidrolisada do trigo

Nutre os cabelos e confere uma maior maleabilidade aos fios.

D-Panthenol

Hidrata, regenera os cabelos danificados e ajuda a combater pontas duplas.

Óxido de zinco

Utilizado para aumentar o fator de proteção solar. Não pode ser em nanopartículas e devemos sempre utilizar máscara quando formos manuseá-lo.

Acessórios

Para elaborarmos os cosméticos, é bom termos alguns recipientes de uso exclusivo para eles. Entretanto, não precisamos adquirir todo um aparato de laboratório! O que não for possível ser exclusivo, nós poderemos recorrer à boa e velha esterilização (basta colocar o acessório para ferver ou no forno, ambos por uns 15 minutos).

Bom, sugiro então que adquira colheres medidoras; um béquer (ou recipiente de vidro); uma espátula de silicone; uma seringa ou um conta gotas; um funil; uma espátula ou um bastão de mistura.

E para guardar as nossas preciosidades, antes de qualquer coisa, sugiro sempre reutilizarmos os recipientes dos nossos ex cosméticos industrializados (ou dos naturais comprados, é claro!). Também podemos utilizar potinhos de geleia ou de outras comidinhas. Basta sempre os esterilizar. Porém, se você puder gastar uma graninha a mais, recomendo que compre: potinhos de vidro de 30ml; recipientes conta-gotas de 10ml ou de 30ml; frascos spray de 30ml; frascos roll-on de 10ml. Como utilizaremos óleos essenciais em quase todas as receitas, os frascos devem ser cor âmbar, para que as propriedades dos óleos sejam preservadas por muito mais tempo!

Foto: Fórmula Consultoria

Mas onde comprar tudo isso?

Então, eu compro a maioria dos meus ingredientes e dos recipientes com vendedores do Mercado Livre. Porém, existem outros sites maravilhosos que você pode utilizar. São eles:

Flora Fiora

Sabão & Glicerina

Engenharia das Essências

Grain oils (este é especializado em óleos vegetais. Os demais vendem de tudo um pouco).

No próximo texto desta série, passarei receitas e dicas de cuidados naturebas para os cabelos e para as unhas. Até lá! 😀

Sites consultados

https://senseynatura.com/cosmetica-y-toxicos/

https://idec.org.br/greenwashing

https://lookaholic.wordpress.com/2012/12/10/ingredientes-que-voce-deve-evitar-em-cosmeticos-alimentos-e-medicamentos-parte-1/

https://lookaholic.wordpress.com/2012/12/17/ingredientes-que-voce-deve-evitar-em-cosmeticos-alimentos-e-medicamentos-parte-2/

https://www.emporiolaszlo.com.br/dicas-orientacoes-uso

https://www.ecycle.com.br/2094-greenwashing

https://www.ecycle.com.br/755-vida-sustentavel

https://www.ecycle.com.br/2719-argila