Foto: Natural Organic Living

Cuidar dos cabelos de forma natureba é muito mais fácil do que imaginávamos: basta deixarmos alguns vícios de lado – como a dependência por shampoos líquidos – e tirarmos um tempinho para fazermos nossos próprios cosméticos.

Os benefícios ao elaborarmos as receitas caseiras vêm em dobro: além de utilizarmos somente ingredientes nobres e, portanto, mais eficazes, nós também contribuímos com a natureza, ao deixarmos de comprar gamas de produtos em embalagens plásticas.

As embalagens dos cosméticos são, por vezes, formadas por diversos tipos de plásticos, o que dificulta a sua reciclagem. Da mesma forma, existem partes dessas embalagens – como válvulas pump e spray – que dificilmente serão recicladas. Para saber mais, leia este texto. Vamos agora às receitinhas e às dicas!

1.     Shampoo e Condicionador sólidos: só vantagens. Uma verdadeira revolução!

Não existe nada melhor que esse casalzinho: shampoo e condicionador sólidos! Além de serem super sustentáveis, eles são muito mais duráveis e contêm as matérias-primas em seu estado puro, sem quaisquer diluições desnecessárias, como acontece nos shampoos e nos condicionadores líquidos.

Foto: Oleoshop

Antes de migrar para o shampoo sólido, eu tive certo receio, pois li que alguns deixavam nosso couro cabeludo mais oleoso e, assim, a adaptação poderia levar um bom tempo. E eu tenho um problema sério com a seborreia desde a adolescência, por isso, ainda que meu cabelo seja cacheado, ele tem um aspecto oleoso na raiz.

Após algumas decepções, eu consegui achar meu shampoo sólido perfeito. Para isso, basta que ele tenha, em sua fórmula, o tensoativo SCI – Isetionato de Sódio – e, por conseguinte, não tenha sido feito pelo processo de saponificação. Mas o que é isso??

Existem dois tipos de shampoo sólido: os saponificados, que são feitos exatamente como os sabonetes, e os não saponificados, que são feitos com tensoativo natural. Os saponificados têm pH mais alto e não fazem muita espuma. Quem tem o cabelo mais seco pode usá-lo sem maiores decepções! Para neutralizar o pH básico, pode ser usado, posteriormente, o vinagre de maçã.

Já aqueles feitos com o tensoativo (vegetal, não sintético) fazem mais espumas e possuem um pH mais equilibrado. Os tensoativos são a matéria- prima principal desse tipo de shampoo, mas para maiores benefícios, são adicionados óleos, extratos e manteigas vegetais, bem como óleos essenciais. O SCI, que adoro, é um tensoativo derivado dos ácidos graxos do óleo de coco, é bem suave e não irrita a pele, além de ser totalmente biodegradável. 

Muitas pessoas reclamam que os shampoos sólidos são muito caros. Entretanto, eles podem durar muito mais que qualquer litrão de shampoo líquido (para mim e para o Leo, duram uns 4 meses!), além de, é claro, serem incrivelmente melhores em todos os aspectos. Uma dica para que o shampoo dure mais tempo é dividi-lo ao meio e deixá-lo sobre um pedaço de bucha vegetal, para que a água do banho não seja nele acumulada. Outra vantagem é o seu transporte na viagem: quase zero volume!

A marca B.O.B tem excelentes shampoos e condicionadores sólidos. Eles deram muito certo no meu cabelo e eu não troco mais! Porém, existem diversas mulheres que os produzem de forma artesanal, e você pode encontrá-las em sua cidade. Para quem não tem problemas de oleosidade, não vejo óbice para usarem os shampoos sólidos saponificados. Mas para quem sofre desse mal como eu, sugiro sempre comprar um que seja não saponificado, feito com tensoativos naturais.

Por fim, o condicionador sólido confere o mesmo efeito aos cabelos que o líquido. A diferença é que ele é muito mais sustentável e fácil de ser transportado. Eles também possuem somente ingredientes naturais e são livres de silicones sintéticos e de petrolatos.

O shampoo sólido pode usado por esfregação no couro cabeludo – deixe a espuma descer ao comprimento dos fios. Já o condicionador deve ser usado por esfregação também, mas somente no comprimento.

2.     Tônico Capilar Bífasico

Esse tônico capilar é uma das minhas receitas preferidas. Contém vinagre de maçã, um dos melhores amigos do nosso cabelo, já que o deixa mais sedoso e brilhante. Também adicionei óleo de copaíba, que é ótimo para cabelos secos, quebradiços e com seborreia.

O óleo essencial de alecrim é ótimo contra a queda capilar, e ele também estimula o crescimento dos fios. O de sálvia é excelente para combater caspa e seborreia, e o de ylang ylang é usado em cabelos fracos e quebradiços, além de também estimular o seu crescimento.

A receita:

Em um frasco âmbar tipo spray, misture 20ml de Vinagre de maçã, 40ml de água filtrada, 1 colher de chá de de óleo de copaíba e 18 gotas de óleo essencial de alecrim, sálvia e ylang ylang (6 de cada). Agite sempre que for usar.

3.     Sérum antiqueda e anticaspa – para o couro cabeludo

Como já escrevi acima, eu lido com a doença da seborreia desde a adolescência. Apesar de ela ser genética, os produtos tradicionais tendem a se acumular no nosso cabelo, o que pode agravá-la. Já tentei de tudo para acabar com ela; já usei diversos shampoos – alguns até bem agressivos – e nada. Até que descobri meus aliados na cosmeteria natural e posso afirmar que são os únicos que estão conseguindo atenuar esse probleminha!

Nesse sérum, escolhi o óleo de copaíba, que já sabemos ser especial para o tratamento da seborreia, e o óleo de rícino, que combate a queda e estimula o crescimento do cabelo. Infelizmente, a seborreia também pode causar a queda dos fios! Também já sabemos que o óleo essencial de alecrim é ótimo contra a queda capilar, e ele também estimula o seu crescimento. O óleo essencial de limão siciliano é um grande parceiro no combate à seborreia e à oleosidade do couro cabeludo.

A receita:

Em um recipiente limpo, misture 1 colher de chá de óleo de rícino + 1 colher de chá de óleo de copaíba + 2 gotas de óleo essencial de alecrim + 2 gotas de óleo essencial de limão siciliano. Você pode colocar o conteúdo em um recipiente roll-on ou em um conta-gotas.

Faça massagens no couro cabeludo e deixe o sérum agir por no mínimo 30 minutos. Depois, é só lavar bem com o shampoo. Repita esse procedimento ao menos 2 vezes na semana. Você também pode passá-lo nos cílios e na sobrancelha! Os cílios crescerão muito e falhas na sobrancelha poderão ser corrigidas!

4.    Sérum finalizador infalível

Sempre adorei passar um “oleozinho” depois de secar os cabelos com o secador ou de forma natural, pois eles ajudam a fechar as cutículas e previnem pontas duplas. Só que muitos dos que eu usava continham silicones sintéticos, e só um tiquinho de óleo vegetal.

Nessa receita, misturei vários óleos vegetais excelentes para finalização. Você vai precisar de um potinho com conta gotas para facilitar a aplicação nas pontas do cabelo. O óleo de argan hidrata, nutre, diminuiu o frizz e as pontas duplas da cabeleira. O de jojoba controla a oleosidade e estimula o crescimento dos fios. O de andiroba confere brilho aos cabelos e os deixa alinhados e modelados. E o de pracaxi, conhecido como “silicone natural”, impede a perda de água e hidrata profundamente os fios. O óleo essencial de junípero reduz a oleosidade e combate a queda dos cabelos. E o de cedro os fortalece.

A receita:

Misture 10ml de óleo de argan, 10ml de óleo de jojoba, 10ml de andiroba e 10ml de óleo de pracaxi. Adicione 5 gotas de óleo essencial de junípero e 5 de cedro altlas. Basta passar 2 gotinhas nas pontas dos cabelos – ele é muito potente!

4.    Manteiga de abacate Nutritiva

Nada melhor na vida para nutrir os cabelos do que essa fruta gordurosa incrível: o abacate! Ele devolve umidade aos fios, nutre, hidrata, fecha as cutículas, diminui o frizz, confere brilho e maciez às madeixas…

Essa manteiga dura até 10 dias dentro da geladeira. Os óleos essenciais ajudam a conservá-la. E é importante que o abacate esteja bem maduro! Para um melhor efeito, deixe a manteiga agir nos cabelos limpos e molhados por 30 minutos. Depois é só enxaguar!

Escolhi colocar o óleo de abacate, que possui propriedades semelhantes às da fruta. Entretanto, você pode substituí-lo pelo óleo de coco ou pelo azeite de oliva. A manteiga de cupuaçu é um poderoso agente umectante e devolve a elasticidade aos cabelos fracos e quebradiços. Por fim, já conhecemos as propriedades dos demais ingredientes!

A receita:

  • ½ xícara de chá de polpa de abacate
  • 1 colher de sopa de óleo de abacate
  • 1 colher de chá de óleo de pracaxi e
  • 1 colher de chá de manteiga de cupuaçu.
  • Pode adicionar 5 gotas de óleo essencial de junípero e 5 de óleo essencial de cedro atlas.

Em um béquer, aqueça os óleos e a manteiga. Com o auxílio de um fuê, adicione ao abacate – bata até fica bem homogêneo.Por fim, adicione os óleos essenciais. Armazene-a em um pote de boca larga.

Receitas com base capilar neutra

Acredito que valha muito a pena a aquisição de uma base capilar neutra. Porém, ela tem que ser realmente neutra, sem parabenos, petrolatos, silicones, fragrâncias e ingredientes de origem animal. O objetivo dessa base é conferir, aos cosméticos, um efeito emoliente e condicionante, o qual não é possível alcançar em receitas anidras. Em emulsões, para água e óleo formarem uma fase só, teríamos que adquirir ingredientes que possibilitam essa homogeneização, como o álcool cetílico. Para o efeito condicionante, teríamos que recorrer a agentes como o Armocare (e ao ácido lático para neutralizá-lo). Entretanto, as receitas ficariam bem mais complexas, com diversas fases e um pouco mais caras por conta dos ingredientes adicionais.

Assim, comprar a base neutra nos poupa de toda essa complexidade e ainda preserva o nosso dindin!

Foto: Boutique dos Cachos

Para as próximas receitas, eu usei uma balança de precisão, pois as quantidades estão em gramas. Eu a considero um item essencial na cozinha, mas ela também serve para as receitas de cosméticos naturais! Atualmente, existem balanças ótimas por menos de R$50. Vale o investimento!

5.    Mix de manteigas capilares para hidratação semanal

Esse é um creme de hidratação que pode ser o seu companheiro no chuveiro! Ele será eficaz tanto para hidratações de 5 minutos como as de meia hora.

A manteiga de karité é item essencial na cosmética natural. Com propriedades excelentes tanto para a pele como para os cabelos, ela será coringa em muitas receitas. Ela é um excelente agente hidratante, capaz de devolver elasticidade e brilho para cabelos porosos e quebradiços. A manteiga de ucuuba é ótima contra a queda de cabelos, e a de manga tem poder umectante e controla o frizz das madeixas. O óleo de macadâmia lubrifica os fios e devolve o brilho aos cabelos ressecados. O D- Pantenol (pró vitamina B5 – converte em ácido pantotênico) melhora a penteabilidade dos fios, evita pontas duplas e ajuda na retenção de umidade. A proteína hidrolisada do trigo é um silicone natural, com alto teor de vitamina E (tocoferol). Por fim, o óleo essencial de lavanda estimula a produção de aminoácidos, o que melhora o aspecto dos fios. Já conhecemos os demais ingredientes!

A receita:

  • 50g de base capilar neutra
  • 10 g manteiga de karité
  • 2 g de manteiga de ucuuba
  • 2 g de manteiga de manga
  • 2 g de manteiga de cupuaçu
  • 2 g de óleo de argan
  • 2 g de óleo de macadâmia
  • 1g de proteína hidrolisada do trigo – opcional
  • 0,2g de D pantenol (um pouco mais que 0,1%) –
  • 10 gotas de óleo essencial de lavanda
  • 5 gotas de óleo essencial de ylang ylang

Em um béquer, derreta as manteigas. Adicione os óleos e misture bem. Acrescente a base neutra e incorpore tudo. Espere a temperatura chegar a menos de 40º (se não tiver termômetro de cozinha, espere a mistura esfriar bem, não demora muito). Adicione a proteína hidrolisada e o D pantenol (é muito difícil medir menos de 1 grama, então, adicione um fio dele). Por fim, acrescente os óleos essenciais! Use um pote de boca larga para guardá-lo – pode ser de qualquer creme antigo.

Dica: uma manteiga de hidratação que gosto muito é a Maria da Selva, da Cativa Natureza – na verdade, ela me inspirou para criar a receita! A foto é do site Beleza do Campo.

6.    Leave-in

Esse leave-in ficou perfeito! 😀 Eu o uso antes de escovar os cabelos com o secador ou somente como finalizador mesmo. Ele também é excelente para modelar os cachos! Já conhecemos todos os ingredientes e as suas propriedades.

A receita:

  • 60 g de base capilar neutra
  • 4 g de óleo de pracaxi
  • 5 g de óleo de andiroba
  • 3 g de manteiga de cupuaçu
  • 1g de proteína hidrolisada do trigo – opcional
  • 0,2g de D panthenol – opcional
  • 10 gotas de óleo essencial de junípero e 7 gotas de óleo essencial de cedro atlas

O processo é idêntico ao do creme hidratante! Guarde-o em um recipiente plump ou de boca larga, de preferência que você já tenha em casa.

7.     Creme para proteger os cabelos do sol e do cloro

Apaixonada por essa cor laranjinha natural!!

Moro em cidade de praia e faço natação (na quarentena, está tudo suspenso!). Realmente, o cabelo fica bem prejudicado com o sal e com o cloro, e eu sempre o emplastrei de cremes antes de entrar nessas águas “malvadas”! Porém, todos eles continham ingredientes ruins em suas fórmulas. Eis que resolvi elaborar uma receitinha natural para continuar a proteger meus cabelos, só que, dessa vez, com muito mais eficácia e menos danos ao meio ambiente!

O óleo de buriti, além de ser um fortalecedor capilar, protege tanto os cabelos, como a pele, dos raios solares. Ele é considerado, portanto, um protetor solar natural. O óleo de abacate também tem um considerável fator de proteção contra os raios solares. A manteiga de cacau é regeneradora de cabelos quebradiços e enfraquecidos, mas também tem o poder de recuperar o ressecamento, tanto da pele como dos cabelos, causado pela exposição solar. O óleo essencial de patchouli devolve a saúde dos cabelos e evita a sua queda.

A receita:

  • 80 g de base capilar neutra
  • 7 g de óleo de buriti
  • 2 g de óleo de abacate
  • 5g de manteiga de cacau
  • 5 gotas de óleo essencial de patchouli e 5 de edro atlas

O processo é idêntico ao do creme hidratante! Use um recipiente de boca larga para guardá-lo, de preferência que você já tenha em casa.

Sobre tinturas

É muito difícil encontrar tinturas que não agridem o cabelo e que não contenham ingredientes tóxicos ou de origem animal. Da mesma forma, as marcas tradicionais, em sua maioria, seguem com testes em animais.

Como o texto já está gigante, não vou me alongar muito! Mas sabemos que, por muito tempo, ter cabelos brancos e grisalhos eram sinais de “descuido” e “relapso” pelas mulheres, enquanto para os homens, estes são vistos como charme e sinal de maturidade.

Porquanto envelhecer seja equivalente a pecar para as mulheres, os cabelos brancos sempre foram temidos, já que tiram a aparência jovial que sempre nos é imposta. Assim, ainda que estejamos satisfeitas com a nossa cor natural de cabelo, a grande maioria de nós irá utilizar tinturas para cobrir os fios brancos que, a depender da carga genética, podem começar a surgir antes de completarmos 30 anos.

A única tinta que considero realmente natural é a henna em pó. Ela é 100% natureba, vegana, e seus pigmentos são todos provindos de ervas e plantas de origem indiana, tais como a Amla e a Shikakai. A cor “natural” da henna em pó é um castanho avermelhado, mas, atualmente, existem marcas, como a henna “Casa da Índia”, que adicionam outros pigmentos naturais para conformar tonalidades diferentes, como o castanho escuro, o loiro… Ah, e ela também é capaz de cobrir os fios brancos.

Foto: Madluv

A henna em pó deve ser misturada a água e tem um tempo mínimo de 60 minutos para pigmentação. Muitas pessoas não gostam dela exatamente porque ela dá um trabalhinho a mais. Não obstante, a henna pode ser incompatível com outras químicas, o que a torna uma opção inviável para muitas. Por fim, a henna não agride os cabelos e deixa-os mais fortes e hidratados.

Foto: HR Cabelos

Se a henna não for uma opção viável, a tinta “Natucor”, da Embelleze, pode ser uma opção. Ela vem em pó e também é necessário misturá-la com água. Apesar de ter coisas esquisitas em sua composição, ela possui algumas qualidades, como ser livre de amônia, vegana, compatível com químicas, e ter pigmentação natural. Assim como a henna, ela não precisa de água oxigenada para a fixação da cor; da mesma forma, ambas vêm em recipientes menores, com bem menos plástico que as tinturas convencionais.

Já usei as duas e elas são mesmo excelentes! A Natucor conseguiu cobrir o resquício de ruivo que havia no meu cabelo e não o deixou ressecado. E quando eu fiquei ruiva pela primeira vez, foi com a henna. Uma pena eu tê-la jogado de lado!

Unhas

Para as unhas, não foi possível encontrar uma forma de elaborar esmaltes naturais. Entretanto, a marca Two One One Two tem esmaltes livres e veganos, com cores lindas e preços muito acessíveis.

Sabemos que removedores de esmaltes fazem mal às nossas unhas, ao causar ressecamento e enfraquecimento a elas. Da mesma forma, removedores tradicionais sem acetona contêm ingredientes ruins em sua composição, como parabenos ou propilenoglicol. Assim, depois de muitas pesquisas, encontrei o removedor de esmaltes da Surya, que possui muitos óleos vegetais naturais e um cheiro bastante agradável. O problema é que ele é bem caro! Porém, como estou pintando muito pouco as minhas unhas, valeu o investimento! Há também uma opção ótima e mais barata, que é o removedor da marca Blent.

8.    Sérum fortalecedor de unhas

Desde que comecei a passar esse sérum, minhas unhas ficaram mais fortes e saudáveis, menos quebradiças e com aspecto mais uniforme. O óleo de semente de uvas é rico em ácidos graxos, como o ômega 3 e o ômega 6, e em vitamina E. Ele ajuda a fortalecer as unhas, assim como o óleo de argan. O óleo essencial de cravo, assim como o de tea tree, possuem propriedades antifúngicas e antibactericidas, e ajudam a prevenir micoses. O óleo essencial de elecrim estimula o crescimento das unhas.

A receita:

Misture 20ml de óleo de semente de uvas (ou de rícino) + 10ml de óleo de argan + 2 gotas de óleo essencial de cravo + 2 óleo essencial  de alecrim + 2 óleo essencial de tea tree.

Pode passar nas unhas umas 3x por semana. Recomendo dar um tempo nos esmaltes e nas bases, porque eles contêm muitas substâncias tóxicas, o que impede a “respiração” e o crescimento das unhas. Mesmo que se usem os esmaltes livres, é recomendável não passar um atrás do outro! Por fim, guarde o sérum em um frasco âmbar – o de conta-gotas também seria ideal!

** Vou deixar os comentários abertos, caso tenham dúvidas, sugestões, críticas e correções! Obrigada! **

Consultas

https://www.ecycle.com.br/2352-surfactante

https://www.mundodosoleos.com/blogs/news/oleo-para-as-unhas

https://suryabrasil.com/blog/henna-po/#:~:text=A%20Henna%20P%C3%B3%20%C3%A9%20uma,colorem%20e%20condicionam%20os%20cabelos.

https://suryabrasil.com/blog/henna-faq/